Águas do Gandarela

Movimento em prol da criação do Parque Nacional das Águas do Gandarela

VALE S/A - PIOR DO MUNDO

ATUAÇÃO  DA  VALE  VAI  CONTRA A PRESERVAÇÃO DE ÁREA AMBIENTAL EM MG

No Brasil, a Vale, que acaba de receber o prêmio de Pior Empresa do Mundo em 2011, é responsável por uma série de danos ambientais à paisagem local. As grandes operações de mineração de ferro a céu aberto (a maioria delas no Estado de Minas Gerais) já destruíram uma grande parte de um importante eco- e geo-sistema, os campos rupestres ferruginosos, que cobrem a maioria das reservas ferríferas. A explotação destes recursos tem dizimado a biodiversidade local, afetado o fornecimento de água em algumas cidades e impactado significativamente a paisagem, compromentendo o grande potencial de desenvolvimento econômico regional através de atividades ligadas ao turismo.

 

Um das últimas áreas naturais significativamente preservadas de Minas Gerais, a Serra do Gandarela, está agora ameaçada por um dos maiores projetos da Vale, o complexo de minas Apolo. Na mesma área o órgão federal de proteção ambiental - ICMBio - propõe a criação de um Parque Nacional para proteger os últimos remanescentes da biodiversidade destes campos ferruginosos e garantir a proteção dos vastos recursos hídricos da região. A pressão da companhia sobre os órgãos ambientais e econômicos locais para garantir o licenciamento de seus projetos, entretanto, tem sido intensa, contrariando muitos dos interesses da comunidade, e o futuro do parque está ainda incerto.

 



Vale vence o Public Eye Awards, premio de pior empresa do mundo

Fontes: XINGU VIVO e Brasil de fato  

 

Após 21 dias de acirrada disputa, a mineradora brasileira Vale foi eleita, nesta quinta, 26, a pior corporação do mundo no Public Eye Awards, conhecido como o “Nobel” da vergonha corporativa mundial. Criado em 2000, o Public Eye é concedido anualmente à empresa vencedora, escolhida por voto popular em função de problemas ambientais, sociais e trabalhistas, durante o Fórum Econômico Mundial, na cidade suíça de Davos.
Este ano, a Vale concorreu com as empresas Barclays , Freeport , Samsung , Syngenta e Tepco . Nos últimos dias da votação, a Vale e a japonesa Tepco, responsável pelo desastre nuclear de Fukushima, se revesaram no primeiro lugar da disputa, vencida com 25.041 votos pela mineradora brasileira.
De acordo com as entidades que indicaram a Vale para o Public Eye Award 2012 – a Articulação Internacional dos Atingidos pela Vale (International Network of People Affected by Vale), representada pela organização brasileira Rede Justiça nos Trilhos, e as ONGs Amazon Watch e International Rivers, parceiras do Movimento Xingu Vivo para Sempre, que luta contra a usina de Belo Monte -, o fato de a Vale ser uma multinacional presente em 38 países e com impactos espalhados pelo mundo, ampliou o número de votantes. Já para os organizadores do prêmio, Greenpeace Suíça e Declaração de Berna, a entrada da empresa, em meados de 2010, no Consórcio Norte Energia SA, empreendimento responsável pela construção de Belo Monte, foi um fator determinante para a sua inclusão na lista das seis finalistas do Public Eye deste ano.

 

 

A vitória da Vale foi comemorada no Brasil por dezenas de organizações que atuam em regiões afetadas pela Vale. “Para as milhares de pessoas, no Brasil e no mundo, que sofrem com os desmandos desta multinacional, que foram desalojadas, perderam casas e terras, que tiveram amigos e parentes mortos nos trilhos da ferrovia Carajás, que sofreram perseguição política, que foram ameaçadas por capangas e pistoleiros, que ficaram doentes, tiveram filhos e filhas explorados/as, foram demitidas, sofrem com péssimas condições de trabalho e remuneração, e tantos outros impactos, conceder à Vale o titulo de pior corporação do mundo é muito mais que vencer um premio. É a chance de expor aos olhos do planeta seus sofrimentos, e trazer centenas de novos atores e forças para a luta pelos seus direitos e contra os desmandos cometidos pela empresa”, afirmaram as entidades que encabeçaram a campanha contra a mineradora. Em um hotsite criado para divulgar a candidatura da Vale, forma listados alguns dos principais problemas de empreendimentos da empresa no Brasil e no exterior.
Coletiva
No Brasil, as entidade Rede Justiça nos Trilhos, Núcleo Amigos da Terra Brasil, International Rivers e MST farão uma coletiva de imprensa sobre o premio nesta sexta, 27, ás 12:00 h, na Casa de Cultura Mário Quintana, em Porto Alegre.
Já em Davos, Suíça, também ao meio dia (horário local), os organizadores do Public Eye, Declaração de Berna e Greenpeace Suíça, farão a entrega do premio durante uma coletiva no Fórum Econômico Mundial, que contará com a presença do economista americano e vencedor do Premio Nobel, Joseph Stiglitz.

 

 

© 2014   Criado por Augusto Barros.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço