Águas do Gandarela

Movimento em prol da criação do Parque Nacional das Águas do Gandarela

Espinhaço - A Cordilheira do Brasil

Espinhaço -  A Cordilheira do Brasil

A região da Serra do Gandarela, incluindo toda a área proposta proposta para a criação do Parque Nacional da Serra do Gandarela, também faz parte da cadeia do Espinhaço; situada ao sul das formações rochosas quartzíticas que caracterizam a maior parte da cordilheira, representa a interseção da mesma com a borda leste do Quadrilátero Ferrífero. 

A Serra do Espinhaço é uma cadeia montanhosa localizada no planalto Atlântico, estendendo-se pelos estados da Bahia e Minas Gerais. Seus terrenos são do Proterozóico e contêm jazidas de ferro, manganês, bauxita e ouro, entre outros minerais. Seu nome foi dado pelo geólogo alemão Wilhelm Ludwig von Eschwege no século XIX.

A Serra do Espinhaço pode ser considerada a única cordilheira do Brasil, sendo extremamente singular em suas características de formação geológica. Há mais de um bilhão de anos em constante movimento, é uma cadeia de montanhas bastante longa e estreita, entrecortada por picos e vales em paisagens de grande beleza. Tem cerca de 1.000 quilômetros de extensão, estendendo-se no sentido latitudinal do Quadrilátero Ferrífero ao Norte de Minas e, depois de uma breve interrupção, alcançando a região da Chapada Diamantina, na Bahia. Todo esse percurso apresenta uma diferença mínima em termos de longitude, sendo que sua largura varia apenas entre 50 e 100 quilômetros.

A cadeia do Espinhaço é responsável pela divisão entre as redes de drenagem do Rio São Francisco e dos rios que correm diretamente para o oceano Atlântico, como o Doce e o Jequitinhonha. Diversos rios da região Sudeste têm suas nascentes no Espinhaço, representando um patrimônio inestimável em termos de recursos hídricos. Associadas a isso, sua localização e geomorfologia fazem com que seja também uma área de transição entre os biomas da Mata Atlântica, a leste, e do Cerrado, a oeste, o que lhe dá características únicas de biodiversidade, com elevado endemismo de espécies de flora e fauna.

As raízes africanas, européias e indígenas se misturam no Espinhaço, deixando marcas nos costumes e manifestações culturais das comunidades locais. A beleza da paisagem e os aspectos culturais da região oferecem excelentes condições para o desenvolvimento do ecoturismo.

Por tudo isso, a  Serra do Espinhaço foi considerada pela Unesco, em 27 de junho de 2005, a sétima Reserva Mundial da Biosfera no Brasil,. Este patrimônio natural e cultural, entretanto, enfrenta há muitos anos sérias ameaças, especialmente as provenientes da expansão urbana e industrial e da exploração mineral intensiva, como também da utilização de grandes áreas de vegetação nativa para o plantio de eucaliptos e outras espécies exóticas.  Mais da metade das espécies de animais e plantas ameaçados de extinção em Minas Gerais estão presentes na Cadeia do Espinhaço, incluindo várias endêmicas da região, como diversas orquídeas e bromélias.

FONTES: 

© 2014   Criado por Augusto Barros.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço